Quero reformar meu pasto, por onde começo? As 7 etapas para plantar brachiaria e panicum e ganhar mais dinheiro.

O Brasil tem aproximadamente 160 milhões de hectares de pastagem nativas ou implantadas, dois quais 50% a 70% dessas pastagens possuem algum nível de degradação.

 

Ou seja, cerca de 80 milhões de hectares de pastagens necessitam de alguma intervenção para reverter o estado em que se encontram. Segundo o censo do Rally da Pecuária, realizado no ano de 2017 pela Agroconsult, áreas degradadas tem produção média de 2,8 @/ha/ano, enquanto uma área com pastagem de qualidade pode ter custos equivalentes de manutenção, porém com ganhos muito maiores, cerca de [email protected]/ha/ano.

 

Ou seja, com a manutenção de pastagens de qualidade, a margem de lucro tende a ser muito maior, veja o comparativo nesse exemplo

 

 

1 Conheça muito bem o seu solo

 

O primeiro ponto é fazer uma análise de solo para conhecer a fertilidade do solo e quais as necessidades da área.

Quando bem representativa, a análise do solo pode te ajudar a economizar na correção e adubação, possibilitando que esses manejos sejam mais precisos e resultem em melhores resultados.

Conhecer a qualidade do solo também é essencial para que você saiba qual brachiaria ou panicum está mais adaptada àquele tipo de solo e fertilidade.

 

 

 

2 Preparo físico do solo

 

 

Conhecidas as características do solo, chega o momento de prepará-lo para o plantio da pastagem. Nessa etapa, descompacte o solo, se necessário,  para uma boa incorporação da semente.

Dependendo do grau de compactação e degradação da área, você deve escolher o tipo de ação a ser realizada (arado, grade, rolo faca, niveladora etc.) com o objetivo de deixá-lo suficientemente destorroado, solto e uniforme. Uma aração seguida de uma ou duas gradagens e da sulcagem (para forrageiras que se multiplicam por mudas) constituem operações comuns e importantes para a garantia do estabelecimento da forrageira.

Mas atenção, tente movimentar o solo o mínimo de vezes possível, para não desestruturar demais e destruir seus canais de escoamento. A pulverização excessiva do solo pode prejudicar também o enraizamento e eficiência do seu plantio.

 

 

3 Preparo químico do solo: correção responsável pela incorporação dos nutrientes

 

 

Para uma boa formação das pastagens, um pH equilibrado é essencial. Ele é a base para que todos os nutrientes sejam disponibilizados para melhor absorção pela planta. A calagem e a gessagem são as duas formas mais adotadas para equilibrar a solução do solo.

Aproveitando o preparo do solo, esses nutrientes que não se movimentam podem ser incorporados, permitindo sua presença numa camada mais profunda do solo, fato que melhora o enraizamento e a resistência das plantas.

Outro elemento que deve ser incorporado ao solo é o fósforo, essencial para o estabelecimento e desenvolvimento de raízes nas pastagens. Vale lembrar que, nos solos brasileiros, ele normalmente é pouco presente, imóvel e pode ser um limitante na produtividade da pastagem.

 

 

 

4 Escolha da espécie forrageira: qual brachiaria ou panicum devo plantar?

 

 

Com o solo devidamente pronto para o plantio de pastagem, é preciso escolher a espécie forrageira a ser cultivada na área. Para isso é preciso conhecer características adaptativas de cada forrageira, como:

  • Exigências em fertilidade: algumas brachiarias e panicuns exigem solos mais férteis do que outras.
  • Tolerâncias a seca ou encharcamento: plantar uma forrageira não resistente às condições de umidade da sua propriedade resultará em perdas graves de produtividade.
  • Susceptibilidade a pragas e doenças de cada cultivar: se você tem problemas com cigarrinhas, por exemplo, é preciso escolher uma brachiaria ou panicum que seja mais tolerante a elas.

E por fim, tenha em mente qual manejo você irá usar: pastejo rotacionado ou contínuo, qual será o volume de adubação etc.

Em muitas ocasiões, determinada forrageira até se adapta bem à área e ao clima, mas, se o manejo não for bem feito, pode não durar muito tempo e acabar se degradando.

Importante: A escolha da melhor espécie forrageira também depende da categoria animal a ser adotada na área (pecuária de corte, pecuária de leite, ovinocultura etc.)

Conheça todas essas características de cada brachiaria e de cada panicum aqui nas nossas páginas de produtos: http://materiais.sementesoesp.com.br/brachiaria e http://materiais.sementesoesp.com.br/panicum

(Temos um artigo exclusivo para te ajudar a escolher a forrageira aqui)

 

 

 

5 Regulagem no maquinário e eficiência no plantio

 

 

  • Conduza o plantio com o apoio de maquinários apropriados.
  • Use sementes de qualidade, alta pureza e um tratamento que tenha benefícios reais e comprovados, como o Advanced da SOESP.

Formar ou reformar uma pastagem já não é barato, então um erro simples pode fazer com que percamos uma safra de forragem, exigindo que o gestor tenha que gastar novamente com parte dos insumos.

 

 

 

6 Compactação

 

 

Depois de plantada, a semente precisa ser incorporada ao solo, permitindo um desenvolvimento uniforme e mais rápido. Porém, muito cuidado: sementes de forrageiras não podem ser incorporadas tão profundamente, pois possuem uma reserva muito pequena, ou seja, elas devem chegar rápido até a luz do sol.

Profundidades ideais estão em torno de 2 cm para panicum e 3 cm para brachiaria.

 

 

 

7 Avaliação e monitoramento

 

 

Avalie se a máquina está semeando a área corretamente. Caso as áreas sejam grandes e o plantio passar de alguns dias, vale regular a máquina novamente, assim você estará se certificando de que ela continua na regulagem correta.

Tenha em mente que as sementes só irão iniciar sua germinação depois de 7 a 10 dias, somente após o início das chuvas, mesmo que o plantio de pastagem tenha sido feito há mais tempo. Esse é o momento ideal para:

  • Monitorar sua área de estabelecimento.
  • Verificar se as plântulas estão sadias.
  • Conferir se não há pragas atacando a área.
  • Conte quantas plântulas por metro quadrado há em pontos diferentes da área, a fim de verificar se o estande de plantas está satisfatório, indicando se o plantio de pastagem foi bem feito ou não (20 plântulas para brachiaria e 40 para panicum).

Por último, é importante lembrar: o plantio de pastagem ideal exige o uso de sementes de qualidade. Nunca adquira produto misturado com material inerte, sujeira e daninhas. Isso irá atrapalhar (muito!) o procedimento de reforma ou implantação de uma nova pastagem.

Por isso, escolha sementes com garantia de origem, alta pureza e beneficiadas, como a SOESP Advanced. Com isso, você terá um bom estabelecimento de plantas forrageiras na sua área.

 

 

 

 

Referência:

  • Agroconsult. Apresentação dos Resultados de 2017. Rally da Pecuária. São Paulo, Fiesp 2017.
  • Dias-Filho, M.B. Degradação de pastagens o que é e como evitar. Embrapa Brasília, DF. 2017.
  • Oliveira, P.P.A e Corsi, M. Recuperação de pastagens degradadas para sistemas intensivos de produção de bovinos. São Carlos, SP Março, 2005.