Lanço ou Linha? Veja a melhor maneira de plantar semente de pastagem

 

Para uma pastagem bem implantada é fundamental que o pecuarista organize operações que antecedem o plantio, como a amostragem, correção e adubação do solo e escolha de cultivares para cada talhão. 

Com isso muito bem preparado, é hora de definir como plantar o capim. Dentre os métodos de plantio de capim mais recorrentes, dois são considerados os principais: a semeadura realizada em linha ou a lanço. Mesmo que o segundo método ainda seja o mais utilizado, muitos produtores estão mudando para a semeadura em linha.

Neste artigo colocamos as particularidades de cada método.

 

Entendendo a semeadura a lanço

 

A semeadura a lanço é a mais utilizada entre os pecuaristas no Brasil. Esse tipo de semeadura oferece:

 

  • diminuição do investimento em equipamentos, já que adubadeiras com distribuidor pendular ou disco rotor (destinadas à distribuição de fertilizantes e calcário), podem ser adaptadas para semeadura de sementes forrageiras;
  • implementos mais leves, o plantio pode ser feito até com uma motocicleta;
  • melhor distribuição das sementes, resultando em uma melhor cobertura do solo (desde que a máquina esteja corretamente regulada).
  • flexibilidade na condução dos maquinários em áreas de terreno acidentado.

 



Porém atenção, pecuarista!

Alguns trabalhos de pesquisa relatam uma baixa eficiência na germinação das sementes quando esse método de plantio é comparado com a semeadura em linha.*

 

Na distribuição a lanço, as sementes permanecem na superfície do solo, e isso pode representar um sério risco. Isso exige uma segunda operação, a incorporação, que pode ser realizada através da grade niveladora fechada ou com a “compactação” das sementes com rolo “compactador”, que tem mostrado resultados satisfatórios.

 


Conforme consta em nossos manuais e até na embalagem das sementes SOESP Advanced, essa operação é indispensável porque aumentando a superfície de contato com o solo, aumentará também a absorção de umidade.

 

Como incorporar as sementes depois do plantio a lanço?

 

Com a própria grade niveladora, utilizada de forma fechada, isto é, regulada de forma que os discos fiquem paralelos à direção de avanço do equipamento, para não enterrar as sementes de maneira exagerada, apenas para cobrir a semente com uma camada fina de terra: até 2cm para Panicuns spp. e até 3cm para Brachiarias spp.

 

Atenção ao VC e ao tratamento da semente no plantio a lanço!

 

Além disso, no plantio a lanço é preciso considerar mais um fator muito importante: o valor cultural (VC) da semente utilizada e o tratamento (se tiver). 

Regular a máquina fica muito complicado com sementes de baixo VC, porque muitas levam torrões de terra, palitos e pedras. Isso piora com tratamentos de baixa qualidade, a maioria se esfarela ao passar pela plantadeira, porque não resiste ao movimento/atrito e seu dinheiro vira poeira saindo da máquina. Nada disso acontece se escolher sementes com tratamento Advanced da SOESP: o tratamento não esfarela (chega intacto na terra e continua protegendo a semente até germinar), a pureza é alta e a regulagem fica muito mais precisa, além de agilizar o plantio em poucas horas**.

 

Entendendo a semeadura em linha

 

Nesse outro sistema de plantio, as sementes são posicionadas com espaçamento e profundidade ideal para germinação e formação mais uniforme da área. A semeadura em linha  é realizada no plantio de grandes culturas, como soja e milho. 

Pode-se também usar as plantadeiras de arroz e trigo, que dispõem de espaçamentos curtos, os quais são mais recomendados para sementes de pastagens, portanto para agricultores que estão implementando a ILPF pode ficar mais fácil, já que poderá usar a terceira caixa na mesma máquina.

 

Entre as vantagens desse sistemas:

 

  • A possibilidade de realização de duas operações por meio do uso de um único implemento. Isso ocorre porque a incorporação ou “compactação” não é necessária após a semeadura, pois a cobertura da semente já é feita durante o plantio; com isso, o número de passadas de maquinário na área é reduzido, amortizando os custos da formação e conservando a física do solo.
  • Permite a distribuição precisa de sementes, devido ao seu sistema de regulagem ser exclusivo para essa finalidade, possibilitando uma maior assertividade no plantio de sementes com alta pureza.

O tratamento Advanced da SOESP é compatível também com este método de plantio, já que as sementes apresentam tamanho uniforme, não entope os discos.

 

Nos dois métodos: Cuidado com a profundidade da semente!

 

Semente descoberta ou coberta demais, o resultado pode ser o mesmo: falhas no plantio.

Estudo com cultivares de U. brizantha cv. Marandu, U. brizantha cv. BRS Piatã e U. decumbens cv. Basilisk indicou que a velocidade de emergência de plântulas foi afetada de acordo com o método de plantio: A emergência da cv. Marandu, por exemplo, ocorreu aos 20 dias após a semeadura a lanço. Já na semeadura em linha na profundidade de 3 cm, a emergência aconteceu por volta dos 14 dias.

Outro trabalho, também associado à profundidade de semeadura da cv. Marandu, indicou que a semeadura em linha na profundidade de 1 e 2,5 cm é responsável por uma melhor emergência das plântulas, independentemente do tipo de semente e da textura do solo. Nessas profundidades as plantas também tiveram um melhor perfilhamento e uma rebrota mais intensa.

Para evitar esse tipo de problema, o produtor deverá estar atento à profundidade durante o plantio, que via de regra podemos estabelecer um limite de 2 cm de profundidade para sementes de Panicum maximum (Syn. Megathyrsus maximus) e 3 centímetros de profundidade para sementes de Brachiaria brizantha (Syn. Urochloa brizantha).

Desde que realizada a manutenção do equipamento com frequência e uma boa regulagem sob orientação técnica capacitada, as falhas de plantio por excesso de profundidade podem ser minimizadas e até mesmo evitadas.

 

Conclusões

 

O “melhor” sistema de plantio para um produtor pode não ser o melhor para outro, portanto, convém avaliar a realidade da sua propriedade na qual a pastagem será formada e destacar as variáveis que precisam ser levadas em consideração na hora da escolha do método de semeadura.

Por fim, é indispensável escolher uma semente de alta qualidade, como as produzidas na SOESP com o tratamento exclusivo Advanced, e ter uma boa orientação técnica capacitada. Lembre-se que um bom plantio é processo fundamental para o sucesso da sua formação de pastagem, e esse mesmo cuidado deve ser mantido mesmo após a germinação das sementes, realizando o monitoramento da área contra o ataque de pragas e doenças.

 

 

Característica  Lanço Linha
   Mais economia  no plantio   – 
  Melhor distribuição das sementes  – 
  Menor risco de falhas na germinação  – 
  Melhor em terrenos acidentados     – 
  Compatibilidade com SOESP Advanced

 

 


Referências

 

 

* (Conforme observado por Zimmer A.H. EMBRAPA CNPGC – 1983.)

** A faixa de plantio das sementes Soesp Advanced é maior do que a obtida com outros tratamentos sem grafite, em testes feitos internamente. Isto aumenta o alcance das sementes e reduz o tempo investido no plantio.

Um estudo da Embrapa indicou que a cobertura das sementes (principalmente de 2 a 4 cm de profundidade) favorece a emergência e o estabelecimento das espécies testadas.

Aspectos práticos ligados a formação de pastagens: EQUIPAMENTOS E MÉTODOS DE PLANTIO – Embrapa Gado de Corte – Disponível em> https://old.cnpgc.embrapa.br/publicacoes/ct/ct12/08equipamento.html;

Aspectos práticos ligados a formação de pastagens: PROFUNDIDADE DE PLANTIO – Embrapa Gado de Corte – Disponível em> https://old.cnpgc.embrapa.br/publicacoes/ct/ct12/07profundidade.html;

Ikeda,F.S, et al. Emergência E Crescimento Inicial De Cultivares De Urochloa Em Diferentes Profundidades De Semeadura. 2013. Disponível em> https://www.scielo.br/j/pd/a/DHQN7jydMR58CPCXV4TVxdr/?format=pdf&lang=pt;

Sousa, Gustavo Dorneles de et al. “EMERGÊNCIA E CRESCIMENTO DE Urochloa brizantha cv. Marandu EM FUNÇÃO DO INCRUSTAMENTO DA SEMENTE E PROFUNDIDADE DE SEMEADURA.” Colloquium Agrariae 15 (2019): 33-41. Disponível em: https://journal.unoeste.br/index.php/ca/article/view/2874/2825;

Quero reformar meu pasto, por onde começo? As 7 etapas para plantar brachiaria e panicum e ganhar mais dinheiro. SOESP – Disponível em: https://www.sementesoesp.com.br/blog/7-dicas-essenciais-para-chegar-ao-pasto-ideal/;

Primeiro pastejo [Podcast] – Embrapa: Disponível em: https://www.embrapa.br/en/busca-de-noticias/-/noticia/18736194/podcast-primeiro-pastejo;

 

Para saber mais, te convidamos a conferir as dicas e novidades da SOESP no Blog da Semente.